Voltar
Foto
05/09/2020

Simplificação do tratamento da Aids

Primeiro simpósio discute a Simplificação da Terapia Antirretrovial na prática clínica

A primeira mesa do 10º Congresso Brasileiro sobre HIV-Aids e vírus relacionados, juntamente com o XV Simpósio sobre Avanços na Patogenia e Manejo da Aids, reflete uma preocupação com tratamento preocupação, que, apesar de todos os avanços, ainda existem necessidades não atendidas e especialistas buscam aliar “potência virológica, segurança do paciente e ,ao mesmo tempo simplicidade, já que adesão continua sendo problema para parte de nossos pacientes e uma causa frequente de causa terapêutica”, relata Prof. Dr. Carlos Brites, presidente da comissão científica.


O primeiro simpósio vai reunir especialistas que abordaram as estratégias de simplificação hoje utilizadas hoje na prática clínica em relação a terapia retroviral. O Prof.Lauro Pinto Neto, da Escola Superior de Ciências da Santa Casa de Misericórdia de Vitória (EMESCAM) discutiu uma comparação entre pílula única, versus pílulas combinadas.


Em seguida, a Dr. Mônica Gomes, neurologista e infectologista, professora de Infectologia da Universidade Federal do Paraná, falou sobre switch, troca e pacientes suprimidos.

Já o Prof. Omar Sued, da Fundación Huesped, Buenos Aires, Argentina e recentemente eleito para o board da International Aids Society, abordou a simplificação desde o início, já começando por um esquema de tratamento mais simples.


Depois de 15 anos de evento presencial, o Aids in Bahia que muda para o formato virtual para que o evento seja mantido, num período pertinente para o debate do HIV-Aids e vírus relacionados, além de outros vírus emergentes. Promovido pela Fundação Bahiana de Infectologia, o evento continua com a programação de alta qualidade de forma objetiva, para que os participantes tenham a possibilidade de apreender as inovações no campo.


Ver todas as notícias